Aspirante A Cidadão
   
 



BRASIL, Sudeste, CAMPINAS, JARDIM DO LAGO, Homem, de 15 a 19 anos, Portuguese, English, Livros, Política, Educação
MSN - nelcmr@uol.com.br
 

  Histórico

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo




 

 
 

As flores estão no jardim...

"Nas escolhas da vida,

Me deixei seduzir

Nos caminhos tortuosos,

Preferi seguir

Se o sofrimento é opicional,

a redenção é garantida

Se podemos negar o amor,

Jamais fugiremos da evolução

 

Estou sozinho porque neguei

Enxergar o amor ao redor de mim

Meu corpo dói não pela espada

Do algoz que inventei

Mas pela falta de humildade

serenidade que não usei

 

A Natureza comigo têm paciência

Sabe que algumas sementes escolhem sofrer

para aprender o que é fácil de ver

 

Ver que as flores sempre estão no jardim

Nos sorrindo com suas pétalas e nos dizendo

Que sempre há uma chance de recomeçar"



Escrito por Nelson Martinez às 20h45
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Educação, Alucinógenos e Filosofia Barata

O modelo de educação por qual todo ser humano passa entre seus 5 e 18 anos tem como objetivo principal a formação de um cidadão consciente e integrado na sociedade onde vive. Além dos conhecimentos básicos de matemática, química, física e história, espera-se que o indíviduo começe a entender qual a sua participação no meio social. Como já é de senso comum, somente com uma participação efetiva de escola, família e comunidade todos esses objetivos podem ser alcançados.

No Brasil, assim como o conjunto de leis é perfeito, as diretrizes de educação também são.O problema estrutural do país está em sua sociedade.Nós criamos um círculo vicioso de pequenas corrupções, pequenos desrespeitos, pequenos descasos conosco e com nosso próximo.

Esse processo não começou agora e nem a 10 anos atrás. Eu gosto de comparar esse momento com a chegada histórica das empresas privadas em vários setores da economia brasileira.Não questiono a PARTICIPAÇÃO de empresas privadas no mecanismo econômico brasileiro, mas questiono a IMPOSIÇÃO de tecnologia e conhecimento.NA VERDADE, A PARTIR DO MOMENTO EM QUE O BRASILEIRO ACHOU QUE O QUE É EXTERNO A ELE (CULTURA, TECNOLOGIA, PADRÃO FÍSICO, CONHECIMENTO) É MELHOR DO QUE O QUE É INTERNO OU INERENTE A ELE E QUE, PRINCIPALMENTE, VALIA A PENA ABRIR MÃO DE VALORES CONQUISTADOS EM PROL DESSE MODELO, A SOCIEDADE COMEÇOU A SE DESORGANIZAR.

Esse processo não é fácil de se entender, e muito menos interessante para quem está lucrando com essa desordem geral.

O fato é que estamos nos deseducando e permitindo com que valores externos, que vão totalmente contra aos ideais da Constituição de 1988, nos envadam de maneira sutil e quase imperceptível.

O que quero fazer perceber é o que está imbutido na mentalidade de uma mãe que diz que o filho é "burro como o pai" quando a professora questiona uma maneira de melhorar o desempenho do filho na escola. (relato ouvido por mim de uma professora da rede estadual de ensino)Ou ainda, na cabeça de um pai que ensina um filho a matar e roubar por dinheiro.

Há um tempo atrás, tinha a inocência de poder estudar muito e poder mudar isso tudo, como se com a minha opinião fosse mudar os interesses enraizados na mentalidade da grande maioria. Hoje, sou mais humilde: quero tirar todo o "lixo" de dentro de mim e com o meu exemplo, quem sabe, ajudar àqueles que desejam se "purificar" também.

Esse processo que citei não será exemplificado totalmente aqui e nem tenho a pretensão de fazê-lo.Talvez existam idéias deturpadas por mim, ou outras a acresentar.Só tenho a certeza é que continuarei a analisar e refletir, pois sinto que estou numa sociedade doente e que não conseguirei sozinho curá-la, mas descobrindo a "minha vacina pessoal", quem sabe não melhoro ao menos o meu mundo íntimo?

"No planeta do dinheiro e do gozo imediato

Quem espera, congestiona e nunca alcança

Quem pensa, tem défcit e se desvaloriza

Quem ama, se violenta e se anula

Quem não se encaixa, não se nota e não se vê.

 

Exporta-se milhões, mas vive-se centímetros

Importa-se mil, mas ama-se menos de 1

Se goza cem, mas se completa 0

 

Nesse planeta o que se acumula, sempre está em falta

O que se segura, nunca está seguro

O que se compra, nunca se usa

O que se vende, sempre se desvaloriza

Tudo é rápido, mas nada é sentido

Tudo é belo, mas nada é completo

Tudo existe, mas nada vive"

 

 

 

 

 

 

 



Escrito por Nelson Martinez às 19h28
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Chance

Recomeçar.Reciclar.Reiventar.Refazer.Reabrir.Rever.Reviver.Reexistir.Todas essas palavras tem mais do que um prefixo em comum, são chances concedidas a nós a todo instante.

Eu tive a chance de reescrever nesse blog, reescrevi.

Eu tive a chance de recomeçar meu ano, recomeçei.

Eu tive a chance de viver de novo, revivi.

Estamos a todo instante envoltos em oportunidades de recomeço, de novas tentativas, novas possibilidades...Mas então porque, as vezes, temos dificuldade em enxergar essas chances, esses momentos de luz dentro de uma vida em trevas? Bom, primeiramente, é preciso perceber que a vida em trevas também foi uma chance dada a nós em um determinado espaço de tempo que por algum motivo X escolhemos como necessário.

Perceba como tudo é feito de escolhas, pesos, chances, oportunidades, tentativas, no fundo, na real, não existe certo nem errado, erro ou acerto, mal ou bom,sujo ou limpo, adequado ou inadequado.

Escapar da cortina de ilusões que limita nossa visão é tarefa árdua e complexa, já que estamos acostumados desde o ínicio de nossas vidas a seguirmos os padrões estabelecidos pela sociedade da época.Em toda época que se tem notícia da vida hominal em sociedade, o ser humano se vê obrigado a seguir padrões, normas, leis, regimentos, condutas específicas e tabeladas em fonte difusa, como se o bem de um fosse o bem de todos. Não falo aqui do conjunto de leis e normas necessárias para o convívio harmônico entre os seres, pois esta é (mesmo que falha) uma tentativa coletiva de organização, mais sim daquelas regras de comportamento, de moda, de cordialidade, de etiqueta, de consumo, de psiquismo.

Sem percebemos, já nos encaixamos em rótulos e esquecemos de perguntar a nós mesmos, se é aquilo que queremos, quero dizer: não nos damos a chance de experimentar, de tentar, de saborear novas experiências.

É dessa chance que falo: a chance de mudar, de fazer diferente, de inovar, de debater, de instigar, tendo como objetivo a melhoria de nossas próprias vidas!

Se eu me der a chance de escolher o que me faz feliz, estarei também te fazendo feliz e assim vice-versa.

O assunto também me é novo e complexo, mas, afinal, estamos todos em apredinzado contínuo.

Eu me dou a chance de aprender, e você?



Escrito por Nelson Martinez às 16h26
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Mais uma desumanidade

Outro dia normal de trabalho e estudo; outra oportunidade de viver em um mundo "normal" onde as pessoas vivem distantes umas das outras e é aceitável fugir da convivência usando fones de ouvido.

Apesar de todo esse dia-a-dia, essa noite teve algo especial:

"Entro no ônibus, passo o cartão e observo (a visão é um dos poucos sentidos para que ainda não inventaram uma "tecnologia de fuga de realidade móvel") uma mulher chorando excessivamente, com um envelope na mão, bem ao lado da cobradora."

O que mais me impressionou não foi ver alguém chorando no ônibus e nem a curiosidade de saber o porquê do pranto, mas sim a minha falta de atitude.A minha vontade era colocar a mão em seu ombro e perguntar:"Tudo bem?Posso ajudar em algo?".Mas não, eu não consegui.

É isso que me preocupa e amargura;talvez a prisão da normalidade e da indiferença já tenha tomado todo o meu ser.

"Me acomodo na parte central sanfonada do ônibus e olho para todos os lados, para todas as pessoas.Procuro razões para minha deficiência, alguém que tenha a mesma doença."

"Não ouviram a voz suave que era uma lágrima

E se esqueceram de avisar pra todo mundo

Ela talvez tivesse nome, era Fátima"*

"Em meio a devaneios e olhares, um jovem me fita profundamente nos olhos:busca a solução para o mesmo problema; o mesmo monstro habita também o seu corpo."

"Procuramos independência,

Acreditamos na distância entre nós"*

"Talvez como maneira de acalmar minha amiga consciência, procuro uma maneira de me conectar a ela por pensamento e menatalizo:Acalme-se.Tudo vai dar certo.Confie no Pai.Peço arduamente pra Deus que utilize todas minhas energias em prol do anjo da guarda da moça, para que esse a ajude naquele momento difícil"

A realidade de 1983, de George Orwell, talvez seja também a nossa.Pode ser que a cortina de fumaça chamada "normalidade" deixe um dia de vendar nossos olhos.Talvez isso nunca aconteça.

"E derepente o vinho virou água

E a ferida não cicatrizou

E o limpo se sujou

E no terceiro dia, ninguém ressuscitou."*

"Chego em casa e a TV anuncia que a nova novela das sete vem aí.Para curar minha languidez, minha hipocresia, como um recheado pedaço de pizza com um grande copo de Coca-Cola e toda a mágoa passa (ou pelo menos se tranquiliza por mais um tempo) até o dia em que os homens olharão novamente uns para os outros e se reconhecerão como irmãos em humanidade"

Não posso escrever mais pois já é tarde e amanhã começa mais um dia "normal".Quem sabe você me ajude a me livrar dos fones de ouvido e eu consiga dizer ao menos "bom dia" para a senhorinha que sentará ao meu lado no ônibus...

 



Escrito por Nelson Martinez às 18h03
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

A verdadeira informação

A necessidade de conhecimento e de informação está cada vez mais presente na sociedade.Somos diariamenete bombardeados com notícias de todos os lados e de todos os tipos de veículos de comunicação.Escolher a fonte mais confiável, de maior credibilidade e que mais agrade às nossas expectativas é cada vez um trabalho mais árduo.

A importância da leitura de diferentes focos para uma mesma notícia e a convivência com vários tipos de opinião sobre um mesmo assunto, torna-nos mais hábeis para decidir no que acreditar.Nossa participação no que acontece na nossa vida, na nossa escola, no nosso trabalho, também nos dá meios para encontrar a melhor descrição para um fato, pois também o vivemos.

Esse exercício pode ser feito nas situações mais simples de nossa vida, por exemplo, numa discussão entre funcionários sobre a chegada atrasada ou não de um outro colega de trabalho.Você conseguirá descobrir quem fala a verdade ou quem é mais preciso em seu comentário pois provavelmente conhece a pessoa em questão, sua personalidade e suas tendências; sabe se aquela pessoa seria capaz de chegar atrasada sem uma justificativa plausível ou não.

Conseguir enxergar a raiz do problema, as ambições pessoais em jogo ou a personalidade de quem se fala, é um bom começo para que possamos ligar a televisão e escolhermos qual canal de notícias nos agrada e qual nos mostra a notícia de forma mais verídica.É uma tarefa ambiciosa e difícil pois teremos que trabalhar nossa capacidade de críticar e essa capacidade começa na auto-crítica:quem consegue descobrir onde está errando em sua vida têm mais facilidade em descobrir se o apresentador de TV está sendo tendencioso ou não.

Essas habilidades juntas, somado ao constante exercício de comentarmos e discutirmos tudo que acontece ao nosso redor, do mais simples ao mais complexo, abre nossos olhos quanto a credibilidade das fontes de informações que se apresentam a nós.É formando nossa opinião sobre um determinado assunto, que poderemos avaliar se a opinião do outro é crível ou não.



Escrito por Nelson Martinez às 17h58
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Experiências Escolares

 Já frequentei vários ambientes de convivência entre pessoas, mas a escola talvez seja o que mais pude viver intensamente as relações entre as diferentes personalidades, as diferentes ambições, os diferentes sonhos, os diferentes ideias de vida.Acredito que mais que o ambiente de trabalho, o ambiente escolar é único para se debater opiniões e conviver com uma amostra confiável da sociedade de amanhã.

Sempre enxerguei e idealizei a escola como o espaço onde pessoas se relacionam, aprendem, ensinam, debatem, transformam idéias, reciclam idéias, adquirem novas idéias.

Sim, esta é a escola para mim.E esse é o lugar onde mais gosto de estar, tenho experiências únicas, vivo emoções como nunca imaginei.

Eu não preciso dizer que já presenciei desrepeito de alunos com professores, de professores com alunos, desmotivação de professores, diretores. Alunos usando vocábulos do mais baixo calão possível, com as figuras mais diversas da escola, inclusive com diretores.Alunos que cabulam aula com uma naturalidade incrível, e saem facilmente pelo portão da escola, como se aquele ambiente fosse obrigatório e sem sentido.Alunos que zombam de professores e suas aulas, assim como zombam de seus pais e familiares.Alunos que sujam carteiras, jogam lixo fora do lixo, pixam salas de aulas.Alunos que faltam a semana inteira das aulas porque na sexta-feira tem reunião e não há porque em ir na escola nessa semana, ou simplesmente porque tem jogo da seleção, ou seja lá de quem.

Mas, meu caro leitor, preciso eu me preocupar com isso?Claro que não!Nada disso faz parte da minha vida.Nessas mesmas escolas consigo enxergar um ambiente completamente diferente.Consigo enxergar professores interessados em ensinar, alunos interessados em aprender, livros didáticos de ótima qualidade.E quando o mestre que procuro me parece desmotivado, encontro uma maneira de treinar minha vontade de viver, dizendo: "anime-se e me explique esse exercício, quero aprender!".Eu ando por uma rua deserta, cheia de casinhas com portas e janelas fechadas, e quando passo, luzes se acendem, mentes se motivam, livros se abrem...

Como pode existir no mesmo ambiente realidades tão diferentes?Como podem conviver tão próximas, motivação e desmotivação, criação e ócio, beleza e feiura, alegria e tristeza?

Escola: ambiente em que você escolhe o que ser e o que fazer.Ambiente em que crescem médicos, professores, mecânicos, cidadãos, assassinos, políticos, ladrões, pais, mães.É onde todos passam, mas poucos VIVEM.É onde todos passam de ano, mas poucos APRENDEM.É a parada entre a estação FAMÍLIA e a estação FUTURO.É onde se pode aprender e ensinar,vadiar ou cabular.Só depende de VOCÊ, só depende de MIM, só depende de quem FOMOS, de quem SOMOS e, principalmente, de quem queremos SER.

 



Escrito por Nelson Martinez às 22h26
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

A Razão do Problema

É estranho ainda para mim reconhecer o que afirmarei como verdade, mas é, felizmente ou infelizmente :

A CAUSA DE TODOS OS PROBLEMAS EM MINHA VIDA, SOU EU.

É muito difícil sentir isso em mim, porque sempre fui acostumado a colocar a razão dos meus problemas nas pessoas ao meu redor, nas situações...mas não consegui percebi que quem estava vendo tudo aquilo era eu.

O BEM sempre existiu na minha vida,a FELICIDADE sempre existiu em minha vida, o RELACIONAMENTO sempre existiu...só eu que não os via, ou melhor não queria ver pois era mais interessante viver da dó e piedade dos outros como se eu não fosse capaz de cuidar 100% de mim mesmo.

Mas eu sou, e chegou a hora de tomar posse de mim.Essa hora é diferente para cada um de nós, talvez a sua já tenha chegado, se ainda não chegou, tenha a certeza que vai chegar.

O trabalho de conhecimento interior é muito trabalhoso, pois nossos pais não nos ensinam a olhar pra dentro da gente e achar a solução dos nossos problemas, talvez porque eles também não aprenderam isso.

Bom, a busca de nós mesmos é árdua, tanto que a algum tempo venho falando disso aqui no blog, pois é legal debatermos problemas da sociedade e política, mas para me tornar um cidadão pleno preciso também me conhecer, pois só assim, saberei fazer as escolhas certas.

 

 



Escrito por Nelson Martinez às 20h15
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

A busca pelo melhor

Quando começamos a sentir o equilibrio em nossa vida, começamos a questionar antigos hábitos nossos e necessitamos mudá-los.

Toda mudança de pensamento, consequentemente, traz uma mudança de atitude.

É interessante como alguns padrões estão tão solidificados em nós, que às vezes nem percebemos a importância que eles têm em nosso equilibrio.A forma como lidamos com uma situação, como vemos uma pessoa, como passamos por uma dificuldade, muitas vezes está padronizado dentro de nós, e quando partimos para a mudança, isso nos traz um grande desconforto, uma incerteza: "como pude agir assim durante tanto tempo"?

É esse o primeiro passo de nossa mudança íntima.Nossa capacidade de se indgnar com os erros do passado, e o desejo ininterrupto de progredir.

Que continuemos a olharmos para nossas falhas com disciplina e amor, para que possamos identificar suas origens e anseios.Não permitamos o desiquilíbrio novamente!

 



Escrito por Nelson Martinez às 19h24
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Quem Não Sabe As Trevas, Não Sabe A Luz

É incrível a facilidade com que o ser humano é seduzido, é enganado, é desesperançado em seus projetos e em seus sonhos.Esse ser humano sou eu, é você.Essa semana foi mais interessante para mim, no sentido que consegui refletir sobre o que me aflinge sem me deixar envolver.Essa capacidade é muito difícil de ser alcançada.Como ajudar alguém necessitado sem se envolver na energia da pessoa, e consequentemente, se desequilibirar?Como encarar seus problemas de frente, sem se deixar envolver pelas suas criações mentais?Como crescer, com sabedoria, e abandonar o orgulho que falsamente te alimentava a alma?

Foram essas perguntas que habitaram meu mundo interior, e posso dizer que, se não achei respostas, achei maneiras mais favóraveis de lidar com eles.

A primeira lição é, NUNCA, nunca mesmo, permitir que algum problema modifique o seu humor, o seu estado de espírito.É díficil para nós, é claro, sempre acostumados a entrarmos de cabeça em nossos problemas, se descontrolar até a exaustão, e depois perceber como tudo era fácil e descomplicado.É muito importante se manter equilibrado, pois só dessa maneira conseguimos refletir sobre os problemas e,se possível, encontra a resposta, e se não, conviver harmonicamente com ele até que se ache a resposta favorável.

A segunda lição é nunca permitir que suas criações mentais e suas morais interfiram na maneira que você vê as pessoas.Quero dizer, evite idealizar pessoas e situações à maneira que você deseja.Isso é perigoso pois nos dá brecha para acharmos que as pessoas sempre têm que fazer o que planejamos pra elas, o que sonhamos, e isso é uma grande mentira, já que cada um é dono do seu livre-arbítrio.Ver as coisas do jeito que são, nos torna menos vulneráveis ao nosso lado que sempre quer as coisas do jeito dele.Nos possibilita pensar e agir com sabedoria.

Talvez essas duas lições já façam parte da sua vida e você já consiga aplicá-las de modo satisfatório.Pois quero te dizer que elas já são velhas conhecidas minhas e muitas vezes já consegui bons resultados com elas.Talvez o seu problema seja igual ao meu, sempre repetindo os mesmos erros,e  sempre encontrando as mesmas respostas para as velhar perguntas.

Mas sejamos compreensivos e carinhosos conosco, como talvez seríamos com nosso cachorro ao se deparar com uma poça amarela em nosso colchão e um ser com olhar tristonho a nos observar.Sejamos companheiros e principalmente continuemos a refletir sobre nossos problemas e aflições.



Escrito por Nelson Martinez às 18h31
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

A Desesperança Semanal

Caro leitor, confesso, essa semana estava bem desapontado.Desapontado com as pessoas e com o que espero delas.Estava desacreditado com o Brasil, com minha escola, com minha família.

O meu problema é que sempre espero que às pessoas tenham a mesma dedicação, o mesmo amor, que tenho pelas coisas que faço.Digo isso pois sempre me entrego 100% às atividades que realizo, gosto muito do que faço, gosto de estudar, gosto de malhar, gosto de tocar violão, gosto de ler, gosto de falar Inglês.

Estive realmente entrege a esse sentimento essa semana, desanimado com todas as atividades que normalmente sinto prazer em realizar.

Mas, sabe, são nos piores momentos que fazemos as maiores reflexões.Bom, no meu caso, sempre estou caindo, refletindo, e levantando, mas a vida não é isso, uma montanha russa, cheia de altos e baixos?

Bom, voltando ao assunto incial, quando às pessoas não se decicam à alguma coisa, da maneira que eu acredito que me dedico, me desmotivo e acredito que o mundo está de pernas pro ar.Existem sim problemas, é claro, mas existem ainda pessoas animadas, dispostas a trabalharem com amor, com afinco, por um ideal.

Pensando agora, acho até um desacato com as pessoas que estão em minha vida e que sempre estão animadas em continuar, esse meu estado emocional essa semana.Mas, enfim, o importante é não se deixar afetar pelo desânimo dos outros.É ter certeza da vida maravilhosa que tenho, e perceber que existem milhares de situações e pessoas esbanjando amor, apenas esperando o meu sorriso novamente.

Vamos voltar  a acreditar nos nossos ideais, não deixar que às pessoas exerçam influência negativa sobre nós, vamos esperar o bem, desejar o bem incansavelmente, pois só o bem nos alimenta, só o bem dá sentido às nossas vidas, nos dá combustível pra continuar trafegando nessa via expressa congestionada chamada vida.

Bom, mais uma semana se inicia, e vamos continuar acreditando no bem, e sempre que cairmos, que tenhamos um braço amigo ao nosso lado, nos reerguendo e nos fazendo enxergar novamente o verdadeiro sentido da vida.

 



Escrito por Nelson Martinez às 19h32
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

As Benesses da Pátria

Recentemente, ao iniciar a execução de minhas obrigações militares, como todo homem desse país, me atentei a uma frase contida no comunicado de seleção no qual serei obrigado a comparecer.A frase de Olavo Bilac - Patrono do Serviço Militar -, dizia o seguinte:

"Se todos os cidadãos usufruem as benesses da Pátria, nada mais justo que todos participem de sua defesa"

Analisando essa frase, como cidadão do país em que vivo, começei a me questionar o que poderia significar as "benesses" de Olavo Bilac, no contexto social atual.Digo isso porque não consigo enxergar nas relações políticas e sociais, entre orgãos de defesa e população, essas melhorias, essas gratificações, ao contrário, vejo um sistema cada vez mais corrupto e arbitrário.Um sistema onde não se pode reclamar de um establecimento comercial que utiliza de música alta até altas horas, pois não se sabe se a polícia tem "parcerias" com o dono, ou ainda se não há um grande esquema de "trocas de favores" entre ambas as partes.Um sistema onde pessoas utilizam de seus cargos de poder para conseguir lugar em avião ou onde milhares de pessoas ficam reféns de forças paramilitares porque não se pode confiar em uma força policial ativa e presente.

Talvez esteja sendo equivocado em algumas idéias, mas dizer que por aproveitarmos dos benefícios da pátria somos obrigados a participar de sua desefa, isso é demais!

Enfim, a única certeza que tenho é que terei que cumprir passivamente às obrigações da pátria, mas ainda espero, sinceramente, que da mesma forma que estou oferecendo as minhas habilidades intelectuais e físicas à pátria, ela me ofereça ao menos o direito de ir e vir, garantido na Constituição Brasileira de 1988, sem que tenha qualquer receio de ser roubado, ameaçado ou violentado.



Escrito por Nelson Martinez às 19h56
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Necessidade de Expressão

Gostaria de começar esse blog, descrevendo o motivo pelo qual eu o criei.Este é a minha necessidade de me expressar, colocar no papel minhas idéias, e reflexões sobre a vida, o ser humano e a sociedade.Em nenhum momento pretendo mudar ou interferir na opinião do leitor, mas sim contribuir para a melhoria da sociedade em que faço parte.Como diz o título do blog, procuro me expressar e debater idéias para que um dia possa conquistar o título de cidadão, com todas as dificuldades e responsabilidades que o significado desse vocábulo oferece.

Escrito por Nelson Martinez às 19h30
[] [envie esta mensagem
] []


 

 
[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]